• qui. out 21st, 2021

NOTÍCIAS QUE FAZEM BEM

Porque o bem merece cometários

História de um Uber: um exemplo de empatia e solidariedade humana

Bydaianelealcosta

jan 6, 2021

06 janeiro de 2021

Texto: Alex Silva, motorista da Uber, em Manaus

“Cara, definitivamente concluí que não deve ser fácil ser mulher 😕

Ainda pouco, fazendo meus corres aqui na zona leste, nas proximidades do T5 recebi um chamado de uma moça. Chegando lá, antes de entrar no carro, ela pediu pra baixar o meu vidro. Com os olhos cheios de lágrimas, ela disse que o motorista anterior largou ela ali, porque ela sem querer, acabou “sujando” o banco do carro dele, pois a menstruação dela tinha acabado de descer.

Pra completar, ela estava tentando chamar outros carros, mas nenhum motorista aceitou levar ela. Caralho, qual o problema desses caras? 😠😠

Eu não deixei nem ela terminar de falar, fiquei pensando como isso tava sendo constrangedor pra ela.

Eu respondi: – Moça, entra aqui, não se preocupe com o carro”. Nessa altura, ela não sabia se chorava ou se sorria. Então ela entrou e perguntei pra onde ela iria. Ela começou chorar mais ainda e eu fiquei sem entender.

Passou-se 2 minutos, ela soluçando respondeu: “Estava indo fazer uma entrevista de emprego, que a meses eu estava aguardando, mas agora eu perdi, não tem como ir desse jeito, só tenho 30 minutos pra chegar lá. Me leve pra minha casa, moço”.

Porra, isso partiu o meu coração (e olha que eu achava que nem tinha isso 🌚). Eu fiquei sem saber o que falar ou o que fazer, pra tentar amenizar aquela situação. Ela disse o bairro que morava e eu fiquei parado ali onde estava, eu não queria aceitar o fato que ela iria perder aquela entrevista.

Eu virei pra trás e disse: – Você vai fazer essa entrevista, SIM! Ela, sem acreditar, perguntou: “Como? Assim?Eu: – Confie em mim! Então, rapidamente dirigi até ali na Grande Circular e parei o carro na primeira loja de roupa que eu vi. Perguntei dela qual o numero que ela vestia. Ela respondeu: -38, por que? Eu: -me aguarde aqui. Então entrei na loja e falei pra vendedora ver uma calça 38 e uma calcinha. Ela ficou rindo e ainda queria ficar me alugando, pra ver se eu comprava outras coisas. Eu falei:- Tem como dar uma agilizada aí, tô com diarreia🥺.

Acho que ela não demorou nem 3 minutos pra embalar e gerar a nota kkk. Paguei e já estava indo em direção do carro. Aí eu lembrei que não ia adiantar nada comprar aquilo, se ela estava suja e sem absorvente. Pra nossa sorte, do outro lado da rua tinha uma drogaria, atravessei correndo, com o c* na mão, morrendo de medo de ser atropelado por aquelas pestes dos “amarelinhos” 🤦.

Chegando lá, com a língua de fora, comprei absorvente e um lenço umedecido. Atravessei de volta, correndo, contando os minutos, pra ver se dava tempo dela fazer a entrevista. Entrei no carro, quase morrendo (triste a vida de motorista, sedentário) e falei: -Te arruma aí, moça, tu vai pra essa entrevista é agora!

Ela ficou totalmente paralisada, sem acreditar no que estava acontecendo. – Vamos, só temos 15 minutos.Então eu sai do carro, e aguardei ela se trocar. Agora só restava 9 minutos pra chegar no distrito. Eu meti minha pata no acelerador, como se não houvesse o amanhã 🤣 bem estilo Velozes e Furiosos Baré.

Me perdoe amarelinhos, quase derrubo uns 20 moto taxis, mas todo mundo ficou bem 🙌. Durante esses 9 minutos, ela ficou me agradecendo e isso foi o meu maior pagamento, sentir que eu alegrei o dia de alguém, que fiz a diferença, mesmo que fosse um desconhecido.

Chegando lá, ela só tinha o dinheiro da corrida e se sentiu muito mal por não ter dinheiro pra pagar pelas coisas que eu comprei. Disse a ela, que assim como eu fiz algo por ela, ela fizesse por outra pessoa, que estivesse precisando, pois de que adianta viver nesse mundo, senão pudermos ajudar uns aos outros? Agora vai lá e arrasa nesse entrevista. Não sei como ela se saiu, mas espero de coração, que ela tenha conseguido a vaga! Agora é limpar a viatura e segue os corres. 🙌

Deixe uma resposta