• sex. set 24th, 2021

NOTÍCIAS QUE FAZEM BEM

Porque o bem merece cometários

Embalagem inteligente que nos diz se o alimento está estragado

Bydaianelealcosta

jan 8, 2021

E se as embalagens nos avisassem que os alimentos estão contaminados ou estragados? Parece que isso já é possível, chamam-se embalagens inteligentes e vão revolucionar o mercado!

As embalagens inteligentes controlam e dizem-nos quais as condições do produto embalado ou do ambiente que o rodeia. São sistemas desenhados para detectar, sentir, registrar, rastrear e fornecer informação de forma a avisar o consumidor sobre possíveis problemas, permitindo aumentar a vida útil do produto e a segurança alimentar.

Este tipo de embalagem é também útil para eliminar as datas de validade imprecisas, que muitas vezes provocam o desperdício alimentar, ao serem descartados para o lixo alimentos que estão em boas condições, mas que já passaram da data de validade impressa.

Estes rótulos reagem a químicos que os alimentos vão libertando à medida que se estragam. Quando a parte de baixo da ampulheta fica azul significa que o alimento já não pode ser comido.

Investigadores brasileiros desenvolveram uma embalagem inteligente que muda de cor para indicar o estado de conservação de um alimento. Trata-se de uma película, semelhante ao filme plástico, feita à base de fécula de mandioca, matéria-prima biodegradável.

A película recebe um pigmento retirado da casca da uva, que é responsável pela variação da cor da embalagem quando o produto está a ficar estragado. O pigmento faz a embalagem mudar de cor à medida que o pH (grau de acidez) do alimento se altera, devido à sua decomposição.

Frasco da direita tem um pedaço de peixe a apodrecer, enquanto o da direita não tem qualquer alimento. A película muda de cor de roxo para cinzento quando os alimentos se estragam.

Já existem rótulos inteligentes aplicados aos vinhos, incluindo em Portugal, dão-nos a indicação quando o vinho está à temperatura ótima para ser bebido, mudando de cor quando tal acontece.

08 janeiro de 2021

Fonte: “Nanotecnologias aplicadas a Embalagens de Alimentos”, Carina Branco; Ciência Hoje

Deixe uma resposta