• ter. jun 22nd, 2021

NOTÍCIAS QUE FAZEM BEM

Porque o bem merece cometários

Fundação oferece bolsas exclusivas para brasileiros no MIT e em Columbia

Bydaianelealcosta

jan 18, 2021

Para os brasileiros que sonham em estudar no MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e na Universidade de Columbia, a Fundação Behring vai ajudar a realizá-lo: eles oferecem bolsas de estudo exclusivas para estudantes do Brasil aprovados nas duas instituições. As bolsas de estudo podem cobrir de 50% a até 100% dos custos estudantis e de permanência nos Estados Unidos

E os alunos não precisam passar por um processo de seleção para as bolsas. Todos os aprovados nas universidades já serão considerados e encaminhados para recebê-las. Lucas Giannini, diretor executivo da Fundação Behring, explica que as duas bolsas de estudo podem cobrir de 50% a até 100% dos custos estudantis e de permanência nos Estados Unidos.

MIT oferecerá cursos em português no Brasil - INFOR CHANNEL - O ponto de  encontro da comunidade de TI
Massachusetts institute of technology (Sean Pavone/Thinkstock)

“Depende da condição financeira do aluno, por isso não temos um número fechado de bolsas, pois depende da necessidade dos alunos aprovados”, conta ele.

O diretor conta que a fundação procura por estudantes interessados em entrar nas áreas de tecnologia, programação e empreendedorismo e ajudar o Brasil a progredir nesses setores.

Em Columbia, as bolsas são para alunos de graduação e mestrado da Escola de Engenharia. No MIT, o programa é apenas para a graduação.

Conversando com alunos e com as instituições, Giannini observa que a pandemia ou as eleições americanas não afetaram o interesse por cursos nos Estados Unidos.

“Acho que os Estados Unidos, tradicionalmente, sempre são o primeiro lugar que o interessado em estudar fora procura. A universidade americana tem um selo e qualidade de ensino que independe de mudanças políticas. Por outro lado, acredito que a eleição contribui para um melhor ambiente de acolhimento para os alunos brasileiros”, comenta ele.

Se os alunos não conseguirem se inscrever para o processo esse ano, por dificuldades causadas pela pandemia ou pela alta do dólar, o diretor lembra que o programa continuará no próximo ano letivo. “Você ainda pode se preparar para o próximo ano”, comenta.

18 de janeiro de 2021

Por Luísa Granato, da Exame

Deixe uma resposta