• seg. out 18th, 2021

NOTÍCIAS QUE FAZEM BEM

Porque o bem merece cometários

Sai ranking dos países mais felizes do mundo em 2021

Bydaianelealcosta

abr 28, 2021

Saiu esta semana o ranking dos países mais felizes do mundo. O Relatório Mundial de Felicidade para 2021 foca nos efeitos da pandemia e na superação das pessoas, sobre como elas classificam suas vidas de uma forma geral. (veja Top 20 abaixo)

O relatório, divulgado pelo The New York Times, também avalia como governos no mundo reagiram e administraram o problema.

O Relatório da Felicidade Mundial, feito pela empresa de pesquisas Gallup, entrevistou mais de 350 mil pessoas em 95 países.

As classificações não são baseadas em fatores como renda ou expectativa de vida, mas em como as pessoas avaliam sua própria felicidade em uma escala de 10 pontos.

“Acreditamos que essas avaliações subjetivas ou autopercebidas são uma maneira mais confiável de dizer como a vida é boa”, disse Shun Wang, professor da Escola KDI de Políticas Públicas e Gestão na Coréia do Sul e um dos autores do relatório .

Primeiro lugar

A Finlândia ficou em primeiro na lista anual alimentada por dados da Gallup World Poll. É o quarto ano seguido que o país da Europa lidera a listados países mais felizes do mundo.

Na sequência aparecem Islândia, Dinamarca, Suíça e Holanda em 2º, 3º, 4º e 5º lugares, respectivamente.

Historicamente, países nórdicos têm alta classificação no relatório de felicidade pelo suporte que as pessoas recebem dos governos.

Assistência médica sem custo, educação gratuita, baixas taxas de crimes, licença parental estendida, são alguns dos pontos altos de viver nesses países.

O Brasil aparece em 41º, lugar, atrás do Japão.

Veja o ranking:

20 países mais felizes do mundo

  1. Finlândia
  2. Islândia
  3. Dinamarca
  4. Suíça
  5. Holanda
  6. Suécia
  7. Alemanha
  8. Noruega
  9. Nova Zelândia
  10. Áustria
  11. Israel
  12. Austrália
  13. Irlanda
  14. EUA
  15. Canadá
  16. República Tcheca
  17. Bélgica
  18. Reino Unido
  19. Taiwan
  20. França

Com informações do TheNewYorkTimes

Deixe uma resposta