• qua. jun 23rd, 2021

NOTÍCIAS QUE FAZEM BEM

Porque o bem merece cometários

Cientistas desenvolvem aplicativo que pode ajudar no diagnóstico de autismo em bebês

Bydaianelealcosta

maio 4, 2021

Pesquisadores da Universidade de Duke (EUA) desenvolveram um aplicativo para celulares e tablets que pode diagnosticar o autismo em crianças.

O app, que ainda não ganhou um nome, usa a premissa básica de atenção em objetos e pessoas para indicar se o bebê tem chances de ter o transtorno ou não.

O objetivo é apresentar vídeos nos quais pessoas interagem com objetos. Usando a câmera dos aparelhos, o app reconhece se o bebê ou a criança focam mais no ambiente ou no personagem principal do vídeo.

Homem assoprando bolinhas de sabão
Pesquisadores explicam que pessoas com tendência ao autismo focam seus olhos no lado direito desta imagem. Foto: reprodução/Duke University

De acordo com a diretora do Centro de Autismo e Desenvolvimento Cerebral de Duke, Geraldine Dawson, o aplicativo é capaz de acompanhar os olhos das crianças e apontar se elas têm chance de ter autismo.

“Nós sabemos que bebês que têm autismo prestam mais atenção no ambiente de uma maneira diferente e não prestam tanta atenção nas pessoas.”

Segundo os pesquisadores, esta é a primeira vez que uma tecnologia simples como essa pode apontar tendências do transtorno. “Este trabalho serve como a prova de um conceito e é encorajador”, declarou Dawson, de acordo com o site WRAL Tech Wire.

Testes para comprovar a eficácia do app ajudaram no diagnóstico de crianças

Durante a fase de testes de eficácia do aplicativo, pesquisadores de Duke ajudaram algumas crianças a serem diagnosticadas com autismo. O estudo mostra que elas focavam em objetos como brinquedos, enquanto os outros pequenos prestavam mais atenção às pessoas que apareciam na tela.

“Esta é uma técnica que foi atingida após anos de trabalho. Ela exigiu do nosso time de pesquisa o desenvolvimento de filmes de uma maneira específica para extrair e mensurar os padrões de olhares usando apenas um dispositivo que cabe na mão”, explicou o autor líder do projeto, Zhuoqing Chang.

O aplicativo foi testado com 993 crianças entre 16 e 38 meses, quando o transtorno do espectro do autismo pode ser muitas vezes identificado. Dos 993 pequenos, 40 foram diagnosticados com algum grau de autismo pelo app.

Deixe uma resposta