• seg. set 20th, 2021

NOTÍCIAS QUE FAZEM BEM

Porque o bem merece cometários

EUA apoia quebra de patentes de vacinas contra covid-19

Bydaianelealcosta

maio 6, 2021

Os Estados Unidos, a Nação mais poderosa do mundo, anunciou que vai apoiar a quebra de patentes de vacinas contra a Covid-19. Na prática, se a medida foi mesmo concretizada, a produção e a distribuição de imunizantes contra a doença serão aceleradas em todo o mundo.

A decisão do governo Joe Biden representa uma mudança histórica dos Estados Unidos, que sempre defendeu a propriedade intelectual. “Trata-se de uma crise sanitária mundial e as circunstâncias extraordinárias da pandemia de Covid-19 exigem medidas extraordinárias”, explicou a representante comercial dos Estados Unidos, Katherine Tai, em um comunicado.

Anteriormente, os Estados Unidos se posicionava totalmente contra a quebra das patentes, ao lado do Reino Unido, Suíça e nações europeias. A proposta de quebra de patentes das vacinas contra a Covid-19 foi apresentada pela África do Sul e Índia junto à Organização Mundial do Comércio (OMC) no final de 2020. A ideia foi poiada por dezenas de países em desenvolvimento. O Brasil, entretanto, se posicionou contra.

Decisão “monumental”

A decisão do governo norte-americano de apoiar a quebra de patentes das vacinas contra a covid-19 foi classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como “monumental”. Para o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom, o presidente Joe Biden é um “exemplo de liderança internacional” e uma referência “moral”.

Presidente Joe Biden apoia quebra de patentes de vacinas contra covid
Presidente Joe Biden apoia quebra de patentes de vacinas contra covid

“Foi um passo fundamental na direção do consenso de que proteger vidas é mais importante do que proteger direitos de propriedade intelectual”, celebrou a organização Médicos Sem Fronteira.

“É também uma oportunidade para que países como o Brasil retomem sua posição histórica de colocar a saúde pública acima dos interesses comerciais”, disse Felipe Carvalho, coordenador no Brasil da entidade.

De acordo com a OMS, foram administradas em todo o mundo, um total de 1,1 bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19. Todavia, 80% dessas doses foram aplicadas por países ricos e ou de renda média. Nos países mais pobres, apenas 0,3% dos habitantes receberam vacinas.

Só que não adianta vacinar apenas as pessoas de países ricos, se a maioria da população de países pobres ficar excluída. Isso porque o coronavírus vai continuar circulando pelo mundo e novas cepas do vírus certamente surgirão, o que significa que a pandemia continuará assombrando o planeta.

Ou seja, só estaremos livres da Covid-19 quando houver vacinas para a grande maioria dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta Terra.

Deixe uma resposta